29 de junho de 2010

Eu procuro por mim.
Eu procuro por tudo que é meu e que em mim se esconde.
Eu procuro por um saber que ainda não sei,
mas que de alguma forma já sabe em mim.
Eu sou assim... processo constante de vir a ser.
O que sou e ainda serei são verbos que se conjugam
sob áureas de um mistério fascinante.
Eu me recebo de Deus e a Ele me devolvo.
Movimento que não termina por que terminar é o mesmo que deixar de ser.
Eu sou o que sou na medida que me permito ser
e quando não sou é por que o ser, eu não soube escolher.



[Pe. Fábio de Melo - Quem me Roubou de mim]

7 comentários:

LiviaSuassuna disse...

os prêmios é assim..
Você recebe eles, como uma forma que o indicador que dizer que seu blog e bom, interresante e talz..
ai tem as tais regras, que vs tem que dizer quem te indicou, colocar as imagens do premio no blog junto com aquelas regras que vs viu no meu blog, e em baixo indicar os blog que você realmente acha que merece o premio,
entendeu agora ?

beiijooos

Sil.. disse...

Ialy , que lindaaaaaaaaa vc!

Parabéns pelos selos, e obrigada viu!
Aqui é tudo muito lindo!!
Guardei-os num lugar especial, acredite!

Um abraço enorme!

Samuel Avner disse...

Será o que tem de ser, e para ser você precisa, primeiro, querer ser aquilo que você almeja ser.

Nosso querido diário disse...

belo texto.

• Myla♦YlaViolet ♥ disse...

Muito bom o texto, e essa história de selos,
como é? kisSus menina ;*
sucesso!



www.ylaviolet.blogspot.com

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do "Entre Aspas". Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Ralf e Pri disse...

me identifiquei muito com esse texto...

Priscilla Valdragon
http://chibiquimera.blogspot.com/

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!